segunda-feira, 24 de outubro de 2016

O retorno da viagem e a reflexão sobre equilíbrio

Equilíbrio. Eis um ponto difícil de manter.

Fonte: https://pixabay.com/
Acabei de voltar de uma viagem em família, que certamente reduzirá meu aporte no próximo mês. Mas não me sinto com a menor ponta de arrependimento, ao contrário, sinto-me muito bem. Precisava recarregar as energias, estava saindo do eixo: trabalhos, estudos, compromissos, família, enfim, essa viagem foi um investimento em mim, me trouxe de volta aos eixos e me deixou muito energizado para o restante do ano!



Eu faço um baita de um investimento nos meus estudos. Jogar tudo fora por não aguentar mais sairia muito mais caro do que esse período. Tem uma hora que a gente simplesmente não aguenta mais, não dá. Infelizmente falo por experiência própria.

Voltando à viagem: estive por um período ímpar com meus familiares mais queridos e num lugar maravilhoso do nosso país. Isso tem um preço, claro, mas a vida é finita!

É preciso aproveitar com sabedoria, já que o nosso tempo aqui na Terra, uma hora, acabará.

Segundo o dicionário Michaelis:
e·qui·lí·bri·o
sm
1 Fís. Estado de um corpo que é influenciado por duas ou mais forças que se anulam entre si.
2 Fís. Estado de um corpo que se mantém sem se inclinar para nenhum dos lados; aprumo, posição estável.
3 Estado daquilo que sofre ação de duas forças antagônicas iguais; igualdade entre forças opostas.
4 fig. Proporção harmoniosa; harmonia.
5 fig. Estabilidade emocional e mental; controle, autocontrole, autodomínio.
6 Igualdade de quantidade, sem exceder para mais ou para menos.
7 fig. Afastamento de qualquer excesso; moderação nos gestos, modos, palavras, sentimentos etc.; prudência.
8 Polít. Estado da política geral em que as nações convivem de maneira que nenhuma pode pôr outra em perigo.
9 Polít. Estado dos poderes públicos que se relacionam, sem que nenhum deles domine ou suplante outro. (grifo nosso)


Aprendi, por um alto custo que a vida requer equilíbrio. O desequilíbrio custa caro. E quando o custo for apenas financeiro, fique feliz.

Aqui estamos tratando do equilíbrio em seu sentido figurado, em especial quanto à harmonia e quanto ao afastamento dos excesso. E um aviso desde o início: sim, por vezes você rompe o equilíbrio por algum objetivo, mas manter isso de forma prolongada te trará problemas, invariavelmente.

Veja: quanto à sua saúde você precisa dormir adequadamente, seja em qualidade ou em quantidade. Muitas são as variáveis para isso, como qualidade do colchão que você dorme, o ambiente (luminosidade e ruídos), a quantidade de horas, as atividades antes de dormir, ...

Você também precisa ter uma boa alimentação, praticar atividades físicas, e um monte de outras coisas.

É preciso também estudar. Nem sempre como um acadêmico, num colégio, universidade, mestrado, MBA ou coisa do gênero, mas é preciso estudar, finanças, saúde, filosofia, retórica, gramática, assuntos não faltam.

E lembre-se: tratar apenas de um e ignorar o resto vai te tirar de harmonia consigo mesmo.

O equilíbrio também é necessário nos relacionamentos. Ceder demais, causará problemas, não ceder, idem. E isso não somente nos relacionamentos amorosos. Assim será nas relações de trabalho, naquelas de interesse (ah! sem hipocrisia, elas existem e são úteis - eu apenas prego que a relação deve ser sempre ganha-ganha; prezo pela honestidade), nas amizades e em todas mais.
Muitas relacionamentos entram em ruínas porque as pessoas não pensam e começam a ceder demais, depois, fica insustentável e você quer dizer não pra tudo, isso afasta o outro, seja namorada, amigo, ou um colega do futebol de final de semana.
Não assuma compromisso que não possa cumprir: é difícil dizer "não", mas com o tempo você aprenderá. OBS: não seja escroto, ok?!

Lembre disso pra vida!

E como todo o mais, equilíbrio financeiro também é fundamental.

equilíbrio financeiro: você está fazendo isso errado. (fonte: pixabay)
De que adianta você economizar um milhão pra ser financeiramente independente e se sua esposa economiza pra comprar a casa de verão? Qual a lógica de se esforçar pra ganhar R$ 20.000/mês, se todo o aumento for imediatamente absorvido pelo consumismo?
Mas, porque não fazer uma viagem ou comprar um sapato melhor ? (OBS: MELHOR não é da marca mais cara, é mais confortável e com boa durabilidade)

Ao olhar bem, isso tudo é inter-relacionado, de uma forma incrivelmente sensível. Desequilibrar uma parte quase sempre repercutirá em outra!


Observe o que você tem feito com a própria vida: você tem sido a pessoa com a qual você gostaria de se relacionar? já pensou como ficará seu corpo daqui 30 anos se você não o alimentar bem e não o exercitar? (lembre-se: você terá que viver nele pro resto de sua vida!) Você estuda o suficiente, ou melhor, você tem algo de bom pra ensinar a alguém? Você tem um motivo pra juntar dinheiro? Você compra porque precisa ou só porque quer?

Uma das coisas mais importantes para sua liberdade ou independência financeira: seu motivo. Você sabe qual é o seu porquê?

Vale a reflexão!

12 comentários:

  1. Olá FPI.

    Bacana a reflexão.

    Espero que tenha tido excelente férias com a família!

    São estes momentos que nos fazem continuar na luta da IF.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente VdC. Esses momentos recarregam a bateria de uma maneira inexplicável!
      Abc

      Excluir
  2. Interessante, FPI.

    E mais uma vez essas 3 regrinhas de ouro se fazem importantes, obrigado por trazê-las à tona.

    E o equilíbrio é importante, mesmo. Muitos querem a IF e, para tal, não pagam um plano de saúde (para aumentar os aportes). Porém, nem sequer cuidam do próprio corpo com boa alimentação, sono reparador e exercícios físicos. Então, como querem aproveitar um futuro de conforto se nem cuidam de seu principal patrimônio? Cadê o equilíbrio? Já que se evita pagar um plano de saúde, o sujeito deveria compensar levando uma vida saudável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Anônimo
      Não que seja fácil esse equilíbrio, mas devemos busca-lo.
      Planejamos o futuro, mas não vivemos nele. Muitos tem problemas com a família, por isso não fazem questão de conviver com seus familiares. Mas quando vamos aproveitar com eles (o que não significa gastar loucamente)? Amanhã pode ser tarde demais! E gastar além do que podemos? Também não. Amanhã chega

      Excluir
  3. Ótimo texto FPI, concordo com você. Temos que ter equilíbrio na nossa vida. E claro, um motivo para nossas pretensões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descobrir o real motivo é o que faz a máquina continuar girando

      Excluir
  4. FPI
    Peço desculpas meu caro, achei que você já estava no meu blogroll!
    Detodo modo agora está adicionado!
    Bons ganhos e um grande abraçoo!

    ps: EXCELENTE POST!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu. Tô escrevendo sobre roupas tb... Já tá rascunhado aqui. Vou fazer umas referências ao seu post e ao do VdC.
      Ah, tb vejo muita coisa do Solon, o cara é bom! Abc

      Excluir
  5. Olá, FPI!

    Excelentes reflexões!

    Abç e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  6. "você tem sido a pessoa com a qual você gostaria de se relacionar? já pensou como ficará seu corpo daqui 30 anos se você não o alimentar bem e não o exercitar?"

    Tapa na cara.

    Valeu FPI!

    ResponderExcluir
  7. Adorei o post e o texto com as "3 regras". Viajo geralmente duas vezes por ano com 2 filhos e esposa, para fora do Brasil (quero mostrar a eles outras culturas e que isso aqui, Brasil, NÃO É O NORMAL!). Isso implica em gastar uns 70 mil reais (que poderia aportar) e deixar de trabalhar uns 30 dias por ano. Mas, NÃO TEM PREÇO A FELICIDADE QUE ISSO ME TRÁS!

    Dinheiro, só serve se puder ser (bem) usado, e viajar para mim vale ouro! Conhecimento é poder, viajar é conhecer e aprender. Adicionei seu Blog lá no meu blogroll.

    Em tempo: parto Sábado para África do Sul, com esposa, vamos ao Kruger Park e Cape Town. Dezembro, cruzeiro com sogros, meus filhos e esposa, no Caribe (já fiz duas vezes, e SEMPRE é muito legal). Acho que eu gosto de viajar! KKKKKK

    ResponderExcluir